pequenitudes - crônicas das pequenas atitudes humanas

terça-feira, 12 de janeiro de 2010

Inocência

seco. solo rachado. vegetação rasteira. galhos cinza. uma casa. na sala apenas uma mesa e uma televisão apoiada sobre um tamborete. cozinha preta do fogão à lenha. banheiro novinho. o terraço vazio recebe visitas: pessoas desconhecidas da cidade grande. objetivo: filmar propaganda da água recém chegada ao vilarejo. pausa para as gravações. reunião informal. falatório infame composto de trocadilhos rasteiros. piadas grosseiras. risos de causa vulgar. seu francisco, de 84 anos, encostado na coluna, ouve os visitantes, quer participar. e participa. “qual o bicho que anda com as patas na cabeça?”. silêncio prolongado. parece que o excesso, não importa de quê, seca, racha e torna rasteiro o homem.

5 comentários: